Corpo Clínico

CRM 52 43787-3

Nasceu no Rio de Janeiro, em 1957. Aos dezoito anos, por sua aptidão para ciências exatas, tecnologia e mecânica, se preparava para o vestibular de engenharia, quando perdeu seu pai, Dr. Hélio Magarinos Torres, cientista dedicado, um dos pioneiros da Patologia Clínica no Brasil e fundador do Laboratório Richet, em 1947.

Decidiu então fazer medicina, para junto com a mãe e os irmãos, continuar o trabalho do pai.

Iniciou sua vida profissional em 1978, assumindo no Laboratório Richet, as áreas de Microbiologia, Parasitologia, exames de urina e testes de fertilidade, que despertaram seu interesse pelas técnicas de reprodução assistida. Conciliando o trabalho e a faculdade, formou-se médico em 1984 (CREMERJ 52 43787-3).

Em 1988 já selecionava os espermatozoides de maridos inférteis, para conceituados médicos realizarem inseminação.

 

 

Dr. Jacques Testart e Dr. Antonio (1989)

Dr. Jacques Testart e Dr. Antonio (1989)

Em 1989, estagiou no Hospital Antoine Béclère (Clamart / Paris / França), no serviço do Dr. Jacques Testart (responsável pelo primeiro bebê de proveta na França, em 1980). A objetividade e os excelentes resultados com fertilização in vitro, o incentivaram a tentar realizar a técnica aqui.

Em Agosto de 1991, optou por trabalhar sozinho, atendendo seus próprios pacientes e fazendo só reprodução assistida. Sua primeira gravidez (sem participação de outros médicos), com a técnica de inseminação artificial, foi confirmada em 07/03/1992.

Naquela época, importar equipamentos e produtos era complicado, de forma que só em 1993 obteve seus primeiros resultados com a técnica de fertilização in vitro convencional (FIV).

Em 02/04/1996, conseguiu o 2º caso de quadrigêmeos no Brasil, com nascimento em 01/11/1996, sendo motivo mais de preocupação que de orgulho.

2º caso de quadrigêmeos por fiv no Brasil, com nascimento em 01/11/1996

2º caso de quadrigêmeos por fiv no Brasil, com nascimento em 01/11/1996

Em 1995, apesar das dificuldades e burocracias, montou o primeiro equipamento para realizar a técnica ICSI no Rio de Janeiro, onde foi o pioneiro. Os primeiros bebês nascidos com essa técnica foram duas gêmeas, tendo sido notícia no Jornal O Globo, na coluna do Swann, jornalista Ricardo Boechat, com título “Rio fértil”, em 29 de Junho de 1996.

Reportagem Jornal o Globo (1996)

Reportagem Jornal o Globo (1996)

Em Setembro de 1988, conseguiu o primeiro bebê no Rio de Janeiro, e um dos primeiros no Brasil, com transferência no estágio de blastocisto. Após muitos casos de gravidez múltipla (gêmeos, trigêmeos, quadrigêmeos, etc.), buscando reduzir a preocupante incidência, mas sem diminuir as taxas de êxito (bebê), introduziu em sua clínica e no Rio de Janeiro, as técnicas de cocultura (na época não existiam os meios sequenciais, usados hoje em todas as clínicas), que permitiam cultivar os embriões em laboratório até 7 dias após a coleta e fertilização dos óvulos. Os embriões que conseguiam atingir o estágio de blastocisto eram mais aptos a gerar bebês e assim era possível transferir menos embriões para o útero, sem diminuir as chances de gravidez.

Em 26/11/1999, realizou o primeiro caso bem sucedido no Brasil, com a técnica ICSI, modificada por Augusto Enrico Semprini, para casais soro-discordantes (marido HIV+ e esposa HIV-). Nasceu um casalzinho saudável, sem contaminação da mãe.

Em 2006, realizou os primeiros tratamentos no Rio de Janeiro, com diagnóstico genético pré-implantacional (técnica FISH), para avaliar a genética dos embriões, antes de serem transferidos ao útero, permitindo evitar várias doenças e conhecer o sexo dos pré-embriões (todo o processo realizado pessoalmente e dentro da clínica).

Perfeccionista, executa pessoalmente todas as etapas de cada tratamento. Deve ser um dos raros profissionais a realizar sozinho (e com bons resultados), todo o complexo trabalho de uma clínica de reprodução assistida.

É membro da American Society for Reproductive Medicine (ASRM), desde 1989, da European Society of Human Reproduction and Embryology (ESHRE), desde 1990, da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH), desde 1996 e da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), desde 1998.

Dr. André Hahn – CRM 52 90938-6

Médico pela Universidade Estácio de Sá, conclusão em Dezembro de 2010.

Treinamento em Ginecologia na Santa Casa da Misericórdia.

Treinamento em Reprodução Humana assistida na Santa Casa da Misericórdia

Treinamento em Patologia Clínica na Residência do Hospital dos Servidores do Estado.

Membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana e da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida.

Membro da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e AACC ( American Association of Clinical Chemistry).

Dr. Eduardo Torres – CRM 52 95954-5

Médico formado pela Universidade Gama Filho em 2012.

Treinamento em Ginecologia na Santa Casa da Misericórdia.

Treinamento em Reprodução Humana assistida na Santa Casa da Misericórdia.

Membro da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia .

Todos trabalham na mesma filosofia onde o casal é único e participam do tratamento de suas respectivas pacientes do início ao fim. Isso faz a Bebê de Proveta única.

Essa forma de atuar é baseada no princípio que os pacientes são únicos e merecem um atendimento personalizado pois só assim a clínica consegue até hoje trazer mais bem-estar aos pacientes e excelentes resultados.

© 2017 Clínica Bebê de Proveta. Todos os direitos reservados.

 Diretor Técnico: Dr. Antonio Magarinos, CRM 52 43787-3   Clínica Bebê de Proveta

 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?